O discipulador deve ser modelo de servo


O bom discipulador nunca domina ou força nada sobre ninguém. Ele é um canal para transferir a vida de Deus. Ele caminha sempre na frente, abrindo caminho e estabelecendo exemplos e padrões santos e elevados. Como os pastores de ovelhas abnegados, ele conduz seu rebanho aos pastos verdejantes, prepara a melhor comida e a melhor água, cura as feridas, protege contra os lobos e outros predadores e nunca foge diante do perigo e das ameaças.
Servir uns aos outros no nível horizontal é um excelente modelo de amor, humildade e obediência aos mandamentos de Jesus. Agora, como é que o seu discípulo vai aprender a ser um servo? Como ele poderá aprender a demonstrar genuínos valores cristãos como os descritos acima? Tudo isso acontecerá somente se você primeiro for um modelo de servo!
Quando nós estávamos para inaugurar a Igreja de Fortaleza em 2006, pessoas vieram de todo o Brasil para o grande evento de inauguração. Meus discipuladores, o pastor Paulo Jeff e a pastora Rebecca chegaram um dia antes e se hospedaram na minha casa. No próprio dia da inauguração ainda faltava muita coisa para que o prédio ficasse pronto para a festa que seria à noite: iluminação, decoração, limpeza dos corredores, e acima de tudo a lavagem e a escovação do piso que tinha ficado manchado com restos de tinta e massa. Era preciso lavar, esfregar e escovar o chão para que a tinta e os restos de massa desgrudassem do piso.
Por volta das 11 horas da manhã, alguém me ligou lá do prédio, dizendo:
– pastor Abe, o pastor Paulo e a Pastora Rebecca estão aqui, ajoelhados com lixas e escovas, limpando o chão.
Meu Deus! Eu estava em casa, tentando me preparar mais para a mensagem que eu pregaria à noite. Mas diante daquilo eu coloquei uma bermuda e fui para lá, escovar o piso também. Chegando ali, encontrei os dois agachados, suados, lixando o piso. Então, eu comecei a fazer o mesmo junto com eles.
Depois de um bom tempo limpando o chão, eu disse para eles:
– Queridos, por favor, parem, senão eu não posso voltar para casa e terminar de me preparar para a mensagem! Eu não posso deixá-los aqui escovando o chão, enquanto eu volto para casa e fico bem tranquilo.
Outra vez, quando eu já estava morando em Fortaleza, eu voltei para pregar na igreja de Santarém e fiquei hospedado na casa do pastor Paulo e da pastora Rebeca. Eu estava pronto para tomar banho e me arrumar, quando percebi que meus sapatos precisavam ser engraxados. Aí perguntei para o pastor Paulo:
– Pastor Paulo, você tem uma graxa e uma escova de sapatos para me emprestar?
Ele me respondeu:
– Tenho, sim. Em vou procurar. Vá tomar o seu banho que quando você sair eu te dou.
Quando eu saí do banho, meu Deus! Lá estavam os meus sapatos brilhando, reluzindo em cima do tapete. Ele tinha engraxado e polido os meus sapatos melhor do que eu poderia fazer! Meu Deus, eu fiquei muito sem jeito. Não era para ele fazer; eu só tinha pedido emprestado. Mas ele fez de todo o coração e com toda a humildade.
Não é por nada que nós só temos visto um crescimento vertiginoso de Deus na vida deles. E por mais que Deus os honre e os promova, eles continuam com o mesmo coração humilde e servidor.

Postar um comentário

0 Comentários